Março, 2011 | www.abreti.org.br  

Brasil é o primeiro país a concluir balanço portuário e registra recorde de movimentação


17/03/2011 – ANTAQ

Para 2011, a expectativa é de um novo aumento da tonelagem de cargas movimentadas nos portos e terminais brasileiros

Os portos e terminais de uso privativo (TUP) movimentaram 833 milhões de toneladas em 2010, batendo o recorde histórico da movimentação de cargas. O número é 8,53% maior que o de 2008, quando foram movimentados 768 milhões de toneladas (recorde anterior), e 13,7% maior que em 2009, quando circularam pelas instalações portuárias brasileiras 733 milhões de toneladas.

O crescimento superou as expectativas da ANTAQ. “No balanço do segundo trimestre, a Agência estimava uma movimentação de 760 milhões de toneladas para 2010. Contudo, o excelente desempenho das commodities, em especial do minério de ferro, derrubou as previsões mais otimistas”, explicou o diretor-geral da ANTAQ, Fernando Fialho.

O minério de ferro respondeu por cerca de 38% do total de cargas transacionadas pelas instalações portuárias brasileiras, registrando uma movimentação de 311 milhões de toneladas e um crescimento de 16,1% em relação a 2009. E, assim como no total geral de cargas, o ano de 2010 apresentou-se como o de maior tonelagem movimentada da série histórica de minério de ferro, situando-se 11% acima do antigo recorde, também alcançado em 2008.

Segundo o diretor-geral da ANTAQ, a recuperação econômica de importantes parceiros comerciais, como o Japão e a Alemanha, foi determinante para a elevação da tonelagem movimentada de minério.

Para 2011, a expectativa é de que haja um novo aumento da tonelagem de cargas movimentadas nos portos e terminais brasileiros, o que vai depender da solidez da recuperação econômica mundial delineada em 2010, de acordo com Fialho.

“Dado que alguns parceiros comerciais ainda encontram-se com movimentações menores do que em 2008, com a configuração de um ambiente econômico melhor e a recuperação dessas economias, o ano de 2011 deverá ser marcado por novos recordes na movimentação de carga. A demanda interna também deverá contribuir para a elevação do volume de cargas movimentadas pelas instalações portuárias brasileiras, o que se deve ao bom momento que a economia brasileira vem apresentando”, aponta o diretor-geral da ANTAQ.

Os números da movimentação dos portos e terminais brasileiros em 2010 estão no Anuário Estatístico Aquaviário, lançado no início deste mês pela Agência em substituição ao Anuário Estatístico Portuário, que estava sendo publicado desde 2002 pela ANTAQ. Mais completo, o novo produto contempla, além dos dados da movimentação portuária, estatísticas das navegações interior e marítima. A publicação está disponível na página da ANTAQ, na internet (www.antaq.gov.br).

O levantamento conta com 100% dos dados dos portos e terminais de uso privativo (TUP) autorizados e em operação. Recentemente, mais 18 TUP se integraram ao Sistema de Desempenho Portuário e já estão enviando suas informações por meio eletrônico para a base de dados da ANTAQ. Ao todo, estão integrados ao Sistema 108 terminais privativos, uma estação de transbordo de carga (terminal privativo interior e de pequeno porte) e 33 portos públicos.

Por obrigação normativa, as administrações portuárias têm até meados de janeiro para enviar as informações, permitindo que as estatísticas estejam disponíveis para consulta sempre no mês de fevereiro subsequente ao ano dos dados informados. Com isso, o Brasil passa a ser um dos países que conseguem fechar os dados da movimentação portuária mais cedo no mundo.

Natureza das cargas

No ano passado, foram movimentados 505 milhões de toneladas de granel sólido, o que representou 60,67% da movimentação total, no período. Por sua vez, foram movimentados 208 milhões de toneladas de granel líquido (25% do total) e 119 milhões de toneladas de carga geral (14,34% do total).

A movimentação de granéis sólidos cresceu 16,84% em relação a 2009, quando foram movimentados 433 milhões de toneladas, e 9,93% em relação à 2008, quando circularam pelos portos e terminais brasileiros 460 milhões de toneladas.

A movimentação de granel líquido cresceu 5,32% em relação a 2009, quando foram movimentados 198 milhões de toneladas, e 6,55% em comparação a 2008, quando os portos e terminais brasileiros movimentaram 195 milhões de toneladas desse tipo de carga.

Já a movimentação de carga geral (produtos de maior valor agregado) cresceu 17,18% em relação à 2009, quando a movimentação desse tipo de carga atingiu 102 milhões de toneladas, e 6,25% em comparação a 2008, quando circularam pelas instalações portuárias brasileiras 112,5 milhões de toneladas desse tipo de carga.

Ranking da movimentação

A participação dos portos organizados e terminais de uso privativo na movimentação total do Brasil foi de, respectivamente, 288,8 e 545,1 milhões de toneladas. A movimentação de cargas nos TUP atingiu 65,4% do total brasileiro, percentual que vem crescendo nos últimos três anos, devido ao aumento da quantidade de TUP, aos altos investimentos privados e, também, ao crescimento da movimentação das principais commodities das quais esses terminais são especializados.

No topo do ranking dos portos e terminais que mais movimentaram cargas no ano passado está o TUP da CVRD, em Tubarão (ES), com 107 milhões de toneladas (12,92% do total), seguido do TUP de Ponta da Madeira, no Maranhão, com 96 milhões de toneladas (11,56% do total). O Porto de Santos (SP), com 85 milhões de toneladas (10,24% do total) ocupa a terceira posição, à frente do Porto de Itaguaí (RJ), com 52 milhões de toneladas (6,33% da movimentação total).

Na sequência, veem os TUP “Almirante Barroso” (SP), com 47 milhões de toneladas (5,64% do total); Almirante Maximiano da Fonseca (RJ), com 39 milhões de toneladas (4,75% do total); e MBR (RJ), com 37 milhões de toneladas (4,52% do total).

O Porto de Paranaguá (PR) aparece na oitava posição, com 34 milhões de toneladas (4,12% do total); seguido dos TUP de Ponta de Ubu (ES), com 23 milhões de toneladas (2,76% do total); e Madre de Deus, na Bahia, com 20 milhões de toneladas (2,43% do total).

Em relação à movimentação de carga geral, que compreende os produtos de maior valor agregado, a predominância é dos portos públicos. Em 2010, a primeira posição foi ocupada, mais uma vez, pelo Porto de Santos, com 34 milhões de toneladas (57,26% do total); seguido de Rio Grande (RS), com 7,5 milhões de toneladas; de Paranaguá (PR), com 5,9 milhões de toneladas; do Porto do Rio de Janeiro (RJ), com 5,6 milhões de toneladas; e de Vitória (ES), com 4,7 milhões de toneladas.

Contêineres

A movimentação de contêineres em 2010 atingiu 6,8 milhões de TEU, contra 6,1 milhões em 2009, representando um crescimento próximo de 11,7%. Em termos de tonelagem, foram movimentados 74,6 milhões de toneladas em cargas conteinerizadas (incluindo o peso da tara do contêiner), contra 65,4 milhões de toneladas em 2009, determinando um crescimento de 14,1% no ano passado.

Para os técnicos da Superintendência de Portos da ANTAQ, embora o desempenho positivo da carga conteinerizada frente a 2009 seja bastante evidente, a movimentação de contêineres em 2010 ainda se encontra em nível inferior ao do ano de 2008, quando foram movimentados cerca de 7 milhões de TEU.

Portanto, o ano de 2010 terminou com uma movimentação em TEU 3% inferior ao ano de 2008. Porém, considerando-se as toneladas transportadas, a movimentação de 2010 já superou a de 2008. No ano passado, foram conteinerizadas 74,6 milhões de toneladas de cargas, contra 73,2 milhões em 2008, configurando um crescimento de 2% em 2010.


R. Tenente Gomes Ribeiro nº 182-Conjuntos 23/24-Vila Mariana-São Paulo-SP-CEP 04038-040
abreti@abreti.org.br - www.abreti.org.br - Tel./Fax: 11 5084.6439